Respirar o silêncio...



Emergimos
no silêncio
que as palavras
inspiram

Submergimos
na imanência
que as palavras
transpiram

É nessa respiração
matricial
que irrompe
do ventre
da Terra
que cavamos
os alicerces
da ternura

É nesse oxigénio
matricial
que sopra
o vento
da mudança

E absorvemos
a realidade
exausta
e suspirada



V. Solteiro, 31.10.07
"Breathe autumn", fotografia de Arman Zhenikeyev, in http://www.photoforum.ru/

8 comentários:

Mïr disse...

"no silêncio
que as palavras
inspiram
que as palavras
transpiram
nessa respiração
matricial
que irrompe
cavamos
os alicerces
da ternura"


A continuação de um dia de silêncio respirado.

Hanah disse...

bom dia
iluminado

Dalaila disse...

E assim se respira profundamente,
e mergulhamos no silêncio, a pele sente, emana odor, e se o vento bater, então a carne passa a absorver tudo o mais.

O mais lindo poema que eu já li teu...
Adorei mesmo... adoro a significância da palavra.

maat disse...

"Compreender um poema não é chegar a um pseudo-significado, mas coincidir com seu modo de existir.",
Maurice Blanchot


Coincido(...)
"... nessa respiração
matricial
que irrompe
do ventre
da Terra
...cavamos
os alicerces
da ternura
(...)"


Afecto,
***maat

lupussignatus disse...

Boa noite Mir!

Respirar o silêncio é uma forma de nos encontrarmos...e reconhecermos.

Bom feriado.

lupussignatus disse...

Boa noite Hanah!



Estrelada... :)

*
*
*

lupussignatus disse...

Boa noite Dalaila!

Em tempos de tanta superficialidade, em que as verdades de hoje amanhã são mentira, e em que o carácter fenece, vale a pena parar para pensar e...respirar profundamente... :)

Palavras gentis, as tuas. E carregadas de luz. Obrigado.

Bom feriado.

lupussignatus disse...

Boa noite Maat!

Só se vive a poesia dessa forma...por dentro da pele do lápis... :)

Co
incidimos.

Obrigado pela partilha.

Bom feriado.