O sol morreu no mar...



"Aqui jaz o Sol
Que criou a aurora
E deu a luz ao dia
E apascentou a tarde

O mágico pastor
De mãos luminosas
Que fecundou as rosas
E as despetalou.

Aqui jaz o Sol
O andrógino meigo
E violento, que

Possui a forma
De todas as mulheres
E morreu no mar."


"Epitáfio", de Vinicius de Moraes, escrito em Oxford, 1939, editado no "Livro de Sonetos" pela Companhia das Letras, 1991

2 comentários:

Dalaila disse...

Que os olhos se fechem no mar, e vejam os raios do sol que lá jazem, assim se nasce...

Vinicius, sempre Vinicius...

:)Não conhecia este poema, obrigada pela partilha lupussignatus

lupussignatus disse...

Como o sol, nascemos e renascemos a cada ocaso...

Não tens nada que agradecer, Dalaila. A partilha é isso mesmo: dar e receber.

Temos todos que agradecer é a Vinicius, esse ser que nos inebria de vida a cada palavra.

Continuação de boa semana.