Efémero corpo...



de que serve a palavra
senão para nos relembrar
que a nossa morada
é um templo
erigido
e erodido
pelo pó
da memória




V. Solteiro, 08.02.08
"Dust Games", fotografia de Anna Games V.A.V., in http://www.photoforum.ru/

14 comentários:

Mïr disse...

Lindo!

Se me permitir irei levá-lo até à "luz do voo".

Obrigada.

Bom fim de semana.

Divinius disse...

A luz que te deixo é da cor da minha vida...)
Gostei de ler:)

Edna Battaglini disse...

se torna as vezes dolorido constatar que tudo, na verdade, é efêmero...
as palavras,a memória, a vida
belo!
abraços,

Hanah disse...

beijos beijos e muitas estrelas solares nesse fim de semana...

Meg disse...

Não, a palavra é o instrumento de que nos servimos para verbalizar os nossos sentimentos umas vezes, para dar testemunho de nós para além de existirmos. A palavra escrita ou falada é um dom, de que só nós, os racionais, usufruimos plenamente, mas nem sempre acertadamente.

Um abraço e bom fim de semana

Marinha de Allegue disse...

Pq será que se complementan as ésencias dos posts sábelo ti...??

Beijosssss de manhán.
:)

tonsdeazul disse...

As palavras terão sempre o lugar delas, mesmo nesse tempo!

lupussignatus disse...

Olá Mir!

Grato.

É com prazer que permito esse voo...:)

lupussignatus disse...

Olá Divinius!

Que essa luz seja imemorial...

Obrigado pela visita.

lupussignatus disse...

Olá Edna!

O pó veste-nos de transitoriedade; apesar disso, continuamos a comportarmo-nos como seres desmedidamente brutais e gananciosos...

Obrigado.

Abraços trans-atlânticos.

lupussignatus disse...

Olá Hanah!

Que esse sol nunca deixe de brilhar...

Aqui. Aí. Em todo o mundo...

Beijinhos...

lupussignatus disse...

Olá Meg!

A palavra não é apenas o instrumento; ela é toda a orquestra...

Música das emoções, pois então...:)

Abraço. Continuação de boa semana.

lupussignatus disse...

Olá Marinha!

Será porque tudo o que somos são filamentos da mesma raiz e gotículas que brotam da mesma montanha?


Beijinho de orvalho.

lupussignatus disse...

Olá Tons de Azul!

Palavras com sentido têm sempre lugar cativo na nossa memória...:)