Acaso o ocaso





A nuvem pousa os lábios
na sombria face da montanha

Com seus tentáculos impregnados de ar
enlaça a aresta 
onde não tarda
principiará a clarear

©Vítor Calé Solteiro

Sem comentários: