Do deserto de outras águas


O pó bebe do deserto
uma ínfima parcela de luz.
Guarda as partículas que sobejam
no rumoroso leito da duna.
Assim o nómada no subterrâneo rio
do alaúde.

Vítor Calé Solteiro

4 comentários:

Mar Arável disse...

Há flores nos desertos

Boa partilha

Antonio Jesus Batalha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Voltei ! A poesia ainda cá está . Gostei.

Jaime A. disse...

Excelente!

Uma quase-lição de deserto que também pode ser a "vida".