Rosas juncando o céu...



"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolhá-las...
Em que cismas, meu bem? Porque me calas
As vozes com que há pouco me enganavas?


Castelos doidos! Tão cedo saístes!...
Onde vamos, alheio o pensamento,
De mãos dadas? Teus olhos, que um momento
Prescrutaram nos meus, como vão tristes!


E sobre nós cai nupcial a neve,
Surda, em triunfo, pétalas, de leve
Juncando o chão, na acrópole de gelos...


Em redor do teu vulto é como um véu!
Quem as esparze - quanta flor -, do céu,
Sobre nós dois, sobre os nossos cabelos?"



"Floriram por engano as rosas bravas", poema de Camilo Pessanha, Coimbra, 1867-1926



"Wild Roses", fotografia de Ainars Brencis, in http://www.photoforum.ru/

6 comentários:

Hanah disse...

é tão chato entrar para dizer que lindo...

mais tudo por aqui é tão lindo
sempre... que não tenho mais palavras....


Beijo

lupussignatus disse...

Olá Hanah!

Chato é ainda não se poder transmitir o perfume das rosas bravas através desta geringonça! :)

Beijo rosado.

Ana disse...

Ah! Podes não estar intencionado, mas sente-se.

BOM FINDs
Ana

lupussignatus disse...

Olá Ana!

Que seria de nós sem perfume da vida?!

Boa semana.

maat disse...

A Rosa, brava ou não , é um símbolo cujo perfume se eterniza nos versos e na vida...
Camilo Pessanha é um dos que estão nas minhas escolhas simbolistas...


***maat

lupussignatus disse...

Olá Maat!

A rosa é o universo contido numa pétala; simboliza a poesia que impregna a vida...