Pulsação cortada...

"(...) Quando alguém um dia reconstituir as origens da solidão humana, irá descobri-las na perda de intimidade com a terra, nos muitos cortes que nos afastaram da Terra física. Já não passeamos pelo campo. E mesmo quando o fazemos, fazemo-lo demasiadamente depressa para absorver o que vemos e ouvimos. Se algum membro do grupo se demora e fica para trás, aproveitando o tempo, logo se diz que 'está a atrasar toda a gente.' Penso frequentemente neste tipo de afastamento do mundo físico, porque, regra geral, os seres humanos parecem ansiar por um lugar específico, por determinado enquadramento geográfico que lhes uma sensação de bem estar (...)."


Barry Lopez, in "National Geographic", edição portuguesa, Dezembro 2007, num ensaio intitulado "Terras do Gelo"

"Winter Solitude", fotografia de Tommy Brison, in http://www.photoforum.ru/

4 comentários:

maat disse...

...subscrevo a 1000 por cento...
é a orfandade moderna , esta...


***maat

Dalaila disse...

é deixar o sangue correr,
o coração bater,
o pulso assinalr o tempo,
o coração a batida,
a voz a palavra.


beijinho

lupussignatus disse...

Olá Maat!

Cortamos os vínculos essenciais. O cordão umbilical com a natureza.

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Ferve o sangue da terra perante o punho gelado dos homens...

Beijinho.