À espera do que acontece...



"Uma nêspera
estava na cama
deitada
muito calada
a ver
o que acontecia


chegou a Velha
e disse
olha uma nêspera
e zás comeu-a


é o que acontece
às nêsperas
que ficam deitadas
caladas
a esperar
o que acontece"



"Rifão Quotidiano", poema de Mário Henrique Leiria

Fotografia retirada daqui: havidaemmarkl.blogs.sapo.pt/

12 comentários:

Meg disse...

Que agradável surpresa.Um poeta muito pouco divulgado nos blogues.
Poema e non-sense. Gostei!!!

Um abraço

maat disse...

um poema de gosto muito, para além da sua actualidade inequívoca.

Boa semana.

***maat

Hanah disse...

Doce beijo....

lupussignatus disse...

Olá Meg!

Também fui apanhado de surpresa pelo sabor, amargo e doce, deste poema de Mário Henrique Leiria.

Definitivamente, um poeta a (re)descobrir...

Abraço frutuoso.

lupussignatus disse...

Olá Maat!

A simplicidade com que está urdido e a acuidade da mensagem que contém é absolutamente fascinante.

Só ao alcance de um grande poeta.

Continuação de boa semana.

lupussignatus disse...

Olá Hanah!

Beijo doce.

Dalaila disse...

não conhecia este poeta....

mas quem espera.... não acredito que alcance....
acredito que a espera, não poderá ser sentada....

mas sim, com força.

beijo

Marinha de Allegue disse...

Gustoume moito a imaxe e gustáronme moito tamén as palabras, non conhecía...

Unha apertaaaaa.
:)

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Diz o povo, e bem: "Quem espera, desespera"; "Quem espera, nunca alcança".

O inconformismo é a chave de muitas portas...

Beijo.

lupussignatus disse...

Olá Marinha!

A imagem é apetecível, sim; as palavras, essas, são fruto de uma ironia...refinadíssima!

Abraço frutuoso.

vértice avulso disse...

quis um certo acaso que aqui viesse parar e ainda bem: levo um bom fruto:)

lupussignatus disse...

Olá Vértice Avulso!

Bem-vinda arquitectar...

O acaso tem destas coisas, leva-nos por aí, até desembocarmos numa nespereira carregadinha de frutos...

Bom fim de semana.