Entre.linhas



nos olhos da névoa
ergo um castelo
de cartas.
nelas d.escrevo
o rodopio do ar
e o remoínho das folhas
da infância.
nas suas torres, o cavaleiro-vento galopa uma remota e íngreme voz.
pela amurada, vislumbram-se
estilhaços de objectos que outrora eram alicerce de fundas moradas: porta-retratos, livros, relógios perdidos no tempo.
cego
nesse turbilhão
de fogo e cinzas
tacteio um trapézio sem rede.
sem temor nem tremor.
como convém a um bom jogador
de cartas.

Texto e fotografia
de V. Solteiro

16 comentários:

maré disse...

arquitecto
de liquidas sombras

_____

beijo

Sonia Schmorantz disse...

Arquiteto para equilibrar-se num trapézio, lançando-se à sorte como num jogo...
abraço, lindo domingo

maria azenha disse...

excelente poema.
beijinhos,

mariah

Graça disse...

Sólidas as palavras, que, perenes, suportam as memórias.

Beijo meu.

Jefferson Bessa disse...

jogador com a força certa para um poema "sem temor nem tremor"

Abraços

Jefferson

Maria Costa disse...

Talvez o primeiro poema!

Aqui sim, existe poesia (essa palavra tão mal usada...).
Os meus parabéns por este belo trabalho.


Obrigada.






P.s. - o acesso a este blog tem sido de uma dificuldade extrema, talvez o mesmo se encontre demasiado carregado de postagens visiveis, fica a informação.

maré disse...

justaposição

de contrários


e D. Quixote

galopa

a íngreme

utopia

.

beijo

gabriela rocha martins disse...

um excelente "golpe de asas..."




.
um beijo

Ana disse...

Rodopio de emoções em jogo de poesia. Belíssimo.

Lídia Borges disse...

A robustez das palavras alicerçando a memória...


L.B.

~pi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~pi disse...

lavra-granito,





~

Only disse...

Belíssima poesia...

Juliana Carvalho disse...

Gostei muito das poesias, aproveito para deixar o link do blog que colaboro: http://mariodeganelli.blogspot.com/

António Gallobar disse...

FANTASTICO

Há tanto tempo por aqui e só hoje vi o nome lupussignatus e disse para mim eu conheço este senhor. Sim senhor um grande senhor defensor dos animais e que há muito tempo não nos cruzavamos, não é amigo V.

Grande abraço e tudo de bom, parabens pelo blog fico seguidor naturalmente

Graça disse...

Um beijo para o teu fim de semana, Poeta.