A aura do canto...


o grilo
escava
no ar
galerias
para o
canto


na harpa
do feno
dedilha
o puro
ouro


Poema de V. Solteiro

"Cricket", fotografia de Vytautas Budrevicius


12 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Mesmo que algumas pessoas não gostem, eu amo aquele cricri noturno de um grilo sozinho...
beijos e lindo final de semana

~pi disse...

grilos da

infância

) mágicos

meninos




~

Babi M.S. disse...

toda essa grilação dourada me fascina!

Paulo - Intemporal disse...

lind.íssimo.

amei. mesmo.

um abraço entrelaçado em tantos.

Delirius disse...

Este poema é muito mais que belo!
Não sei quantas vezes aqui voltei para o lêr, e o vêr!...
O canto do grilo..., não sei como dizer..., dedilha puro ouro ha harpa do meu sonho. Tenho o previlegio de poder sentar-me lá fora, na noite a ouvi-los cantar :))

Um belo momento, este.
Beijo

Tchi disse...

E é única a melodia que se escuta entre as horas do anoitecer.

Lídia Borges disse...

Tão simples e tão bonito!
Até parece fácil...

Gostei muito.

Liar disse...

Estava exactamente a pensar, o que disse a Ligia, parece fácil escrever assim!

Adorei!

Bjinho

Céci

AnaMar (pseudónimo) disse...

Bonito este recordar do silêncio quebrado das noites campestres.

Bjs

maré disse...

um pulmão

aceso

pulsante

na noite

______
ouço .o
vertical ao meu abraço

Cry me a River disse...

Lei e torno a ler…
Cada palavra é uma melodia.

gabriela rocha martins disse...

gosto do en canto(?) do grilo quando me lembro da(s) infância(s)

mágico



.
um beijo