Promessa traída...


"(...) A 10 de Dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou e proclamou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e os Estados comprometeram-se a 'promover o progresso social e elevar o nível de vida dentro de um conceito mais amplo de liberdade' e reconheceram que 'os seres humanos só podem libertar-se do medo e da miséria se se criarem condições em que todas as pessoas podem desfrutar dos direitos humanos.'

Sessenta anos depois da adopção da Declaração Universal dos Direitos Humanos, está por cumprir o respeito pelos direitos humanos universais e indivisíveis, que permitam efectivar o direito a um nível de vida digno e o ideal do ser humano livre.


Só em 2007, 1252 pessoas foram executadas em 24 países, documentou-se a prática da tortura e maus tratos em 81 países, em 45 países existem presos e presas de consciência, 854 milhões de pessoas sofrem a tortura da fome em todo o mundo e 1100 milhões não têm acesso a uma habitação digna (...)."


http://www.es.amnesty.org/60-aniversario-de-la-declaracion-universal-de-ddhh/actua-aung-san-suu-kyi/


Tradução livre de parte do Manifesto da Amnistia Internacional que visa assinalar seis décadas sobre a proclamação da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

Fotografia da Associated Press de Aung San Suu Kyi, Prémio Nobel da Paz, a mais conhecida dos cerca de 2100 presos políticos de Myanmar, co-fundadora do principal partido da oposição, a Liga Nacional para a Democracia.



4 comentários:

mariah disse...

Uma vergonha.
Deparamo-nos todos os dias com pessoas privadas de quase tudo.
(...)
Não é demais avivar a memória das Promessas.


Obrigada,

mariah

gabriela rocha martins disse...

no absurdo da condição humana
lembrar é mais do que um dever

-UMA OBRIGAÇÃO




.
um beijo

Vicente Ferreira da Silva disse...

Estando a fazer um doutoramento em Ciência Política e Relações Intarenacionais, já pouco me surpreende.

Relembro as palavras de alguém, contemporâneo da Revolução Francesa e da Declaração dos Direitos do Homem (original):

“Poucos Homens são Homens – daí que seja extremamente indecente que sejam estabelecidos os Direitos do Homem, como se existissem realmente. Sede Homens e os direitos do Homem irão até vós, por si mesmos.”
Novalis

à quase totalidade dos líderes que nos governam, falta aprender a ser(em) homem(s).

maré disse...

a traição dos deuses...