A trama e a rama...


esteio de uma aérea e antiquíssima
arquitectura
a aranha
fia na rama
um lençol
de orvalho


nas suas dobras
borda
um alfobre
de translúcidos
fios de prumo
Poema de V. Solteiro
"Neclace of mister spider", fotografia de Sergey Amelin

15 comentários:

White Angel disse...

Oi Lupus,

Venho aqui retribuir o tua visita... e agradecer.

Ha pouco tempo atrás eu dizia que a simplicidade dos homens da serra é grandiosa... Pois bem agora digo que a simplicidade das tuas palavras é grandiosa...

Abraço
White Angel

maria azenha disse...

que belo livro da natureza que vais compondo,


gosto

SightXperience disse...

Efectivamente as teias da aranha, são uma maravilha da natureza, tremendamente fortes e singelas...porém são uma armadilha mortal e impiedosa!

Teias e teias...
A foto está muito bem escolhida, para ilustrar o bonito texto.
Abraço

Vicente Ferreira da Silva disse...

manancial de universos
no fio de prumo.

pirralho disse...

Enleada
Na teia dos sentidos
Descubro
A translúcida
Paixão
Da arquitectura
Das palavras
Que escondem
O fio de prumo
Dos nossos afectos.

Paulo disse...

[...]

a ser medida, há tanto esvaída da rota sem rumo

[.]

.a.b.r.a.ç.o.

Jefferson Bessa disse...

arquitetando teias d'água de versos transparentes.

Um grande abraço.
Jefferson

Graça disse...

"fia na rama/um lenço de orvalho"

Lindíssimo, este tecer de palavras.


Beijo

Graça disse...

Corrijo :)

"fia na rama/um lençol/de orvalho"

pdah disse...

Caríssimos: adianto que o meu novo livro está a venda nos seguintes locais:

Livraria Trama , Lisboa
Livraria Poesia Incompleta , Lisboa
Livraria Pó dos Livros , Lisboa
Livraria Letra Livre , Lisboa

...em breve espero tê-lo em Évora, Porto e Faro.

O lançamento será algures em Setembro, algures em Lisboa. Não foi agora devido às providências cautelares interpostas pelos dois maiores partidos com assento parlamentar, a santa inquisição, várias obediências maçónicas e um talhante de Paderne.

Para saberem mais, é apenas visitarem

http://pdaherois.blogspot.com

Lídia Borges disse...

Urdida a teia do poema resta descansar o olhar na transparência desse lençol de orvalho.
Bela imagem! A condizer com as palavras.

Um beijo

maré disse...

bordadura
rendilhada
de palavras.

e eu gosto delas
assim
com gotas de límpido orvalho
__

Um beijo

prAia em Mim disse...

combinação harmoniosa de imagem e palavras. gostei!

gabriela rocha martins disse...

e em fio de prumo te saúdo

poeta


.
um beijo

Stella Tavares disse...

A aranha fia na rama e tecem a começar pelo som, se enovelam se misturam. Geram poema.
Bjos.