O ofício do coração...


É do domínio
do sangue
o ofício
do coração

(de)

g
r
a
u

a

d
e
g
r
a
u

a pedra
volve-se
em nuvem

(na vertigem
do cume)


Poema e fotografia
de V. Solteiro

8 comentários:

mariah disse...

É do domínio
do sangue
o ofício
do coração

(de)

g
r
a
u

a

d
e
g
r
a
u

a pedra
volve-se
em nuvem

(na vertigem
do cume)

***

excelente poema,vivo, orgãnico.

Boa semana,

mariah

Maria Costa disse...

Gostei muito deste poema.

Meg disse...

Caro Lupussignatus,

Depois de 2 meses privada de net, por ter mudado de residência, aqui estou de regresso, finalmente, e venho, numa primeira visita, deixar um abraço e a promessa de voltar para ler e comentar, como é devido.

Um abraço

Meg

Sight Xperience disse...

Um belo poema, muito bem acompanhado pela imagem! (Borrageiro?)
No clube onde fazia montanhismo ouvia muitas vezes:

"Passo a passo, de saliência em saliência...a Montanha é conquistada pelo Homem!"

Dalaila disse...

caminhar,
andar
sentir,
cheirar
ir

icendul disse...

fazer dos dias escadas que nos guiem ao temp(l)o do amor*

Tchi disse...

O sobe-e-desce do "ofício" de amar.

Paula disse...

Gostei muito :)