Artesãs do sol...


na ancestral
ramificação
das giestas
as abelhas
tecem
uma colcha
de pólen


artesãs
do sol
e da cor
é no âmago
do cortiço
que erguem
a taça
do deleite

Fotografia e poema
de V. Solteiro

Parque Nacional da Peneda-Gerês

7 comentários:

gabriela rocha martins disse...

sem alarde as rainhas mestras

no sol

se sacrificam

deixam.nos o mel
a metamorfose
a vida

e tu
as palavras
mestras



.
um beijo
um beijo

Sonia Schmorantz disse...

Mira-te pelo calendário da flores
Que são só viço e esquecimento.
Desprende-te dos ofícios do dia,
Apaga os números, os anos e anos,
Releva a data de teu nascimento.
E assim, por tão leve sendo,
Por tão de ti isento,
De uma quase não resistência de pluma,
Abraça o momento,
Te apruma,
Tome por bagagem os sonhos
E apanha carona no vento.

(Fernando Campanella)

um abraço

Maria João disse...

Tecem
o
mais
doce
de todos
os
sentidos:
a doçura dos lábios
com a melodia do amor

beijo doce

Ramon Alcântara disse...

e o sol colorido toda a física de se ver.

~pi disse...

erguer-se e logo

fundir-se na

terra

tecendo gestos e silêncios,



beijo



~

Vicente Ferreira da Silva disse...

palavras

na cor do mel,
no doce em sol.

para nosso deleite

maré disse...

o mel
o paralelismo
do sol

.

fecundo!