Translúcida vertigem

"[que em nada baste

que as pa lavras se des tapem

dos seus corações em cio

e mergulhem facílissima mente

no domínio comum das bocas

seta recta a perfurar códigos de espaço

(apont ar >"

Poema de Rosasiventos - http://rosasiventos.blogspot.com/

Foto de V. Solteiro

Parque Nacional da Peneda-Gerês

4 comentários:

SMA disse...

Lucida vejo-me aqui
.
.
.
Fotos fantasticas

bjo

Mïr disse...

até a alvorada da pedra
entregaste a conivência do vento

rosasiventos disse...

[ que em nada baste
que as pa lavras se des tapem
dos seus corações em cio
e mergulhem facilissima mente
no domínio comum das bocas
seta recta a perfurar códigos de espaço



( apon t ar >

Ramon Alcântara disse...

gélida e fria como o homem.