Assim se vive...


"Murmúrio de água na clepsidra gotejante,
Lentas gotas de som no relógio da torre,
Fio de areia na ampulheta vigilante,
Leve sombra azulando a pedra do quadrante,
Assim se escoa a hora, assim se vive e morre...


Homem, que fazes tu? Para quê tanta lida,
Tão doidas ambições, tanto ódio e tanta ameaça?
Procuremos somente a Beleza, que a vida
É um punhado infantil de areia ressequida,
Um som de água ou de bronze e uma sombra que passa...]"


"Epígrafe", poema de Eugénio de Castro

"The sun, wind and sand", fotografia de autor não identificado, retirada de http://www.photoforum.ru/

8 comentários:

Dalaila disse...

a simplicidade na busca e no encontro

rosasiventos disse...

lugares ( onde teu nome

est-en-de


man-ta









( flor-d`água c-anta (

icendul disse...

o som derramado em gotas. só para sublinhar;)

Vieira Calado disse...

Obrigado pela partilha.
Um abraço.

Ana disse...

Assim se vive... como uma sombra que passa. Tão depressa.

Mïr disse...

"Procuremos somente a Beleza..."


Incessantemente...


Abraço

Marinha de Allegue disse...

lentas gotas de som...

Fermosas palabras!.

Unha aperta.
:)

mariah disse...

A Beleza...esse sangue vivo das estrelas...