A palavra desonrada...

"(...) As palavras, medula de uma civilização de que me orgulho, perderam o sentido, de tanto serem desonradas. Mentem-nos, numa aterradora avalancha, e celebram a injustiça com a exigência segundo a qual temos de nos sacrificar ainda mais (...). E muitas vozes se calaram numa submissão a antever servidões ainda mais desprezíveis (...). Não há política sem ética, cansaram-se de dizer três dos nossos maiores: Herculano, Antero e Sérgio. A propensão de servir, a rectidão de carácter, a vocação para a fidedignidade, a instância de comportamento cívico foram ensinamentos desejadamente ecoantes, mas lamentavelmente desprezados por Governos vergonhosos (...). A mentira nunca sustentou o poder por muito tempo (...)."

Baptista Bastos, in Jornal de Negócios, numa crónica intitulada "Carta aos Dilectos"


Fotografia sem título de Avraham Koloyarski, in http://www.photoforum.ru/

5 comentários:

mariah disse...

"A mentira nunca sustentou o poder por muito tempo (...)."

mas o inverso parece não terminar!

sinais dos tempos destruídos!

~pi disse...

não sei( por muito que queira acreditar...

o certo é que fiquei a ouvir a música.

tive o priviléguio de a ouvir ao vivo há poucos dias, numa noite cheia

de muitas

es tre las *

Marinha de Allegue disse...

As inxustizas que feren e as palabras que acompanhan á inxustiza e a dor...

Unha aperta grande.
:)

Vicente disse...

"You can fool some of the people all the time and all the people some of the time, but you cannot fool all the people all the time."
Abraham Lincoln

Nos tempos de hoje, não tenho tanta certeza.

maré disse...

eu também não...
este é um tempo de certezas tão frágeis...

e a mentira ainda´serve de alicerce fundo a muitas situações, infelizmente!

mas bem que gostava que ele tivesse razão.

obrigado, também pelo Jorge.

maré