És todo o trigo!


"(...) tu és a argila escura que conheço:
nas tuas ancas toco de novo todo o trigo (...)"

Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor", Soneto V, tradução de Albano Martins, editora Campo das Letras, 2004

Sem comentários: