A escrevedeira...


Tecelã das velas do lírico
canto
a escrevedeira
sulca
na sua rejubilante melopeia
um coral de liras


O seu fino e pontiagudo bico
flautim revolteando o vazio
vibra no ar
as cordas da fuga


Doce como o néctar
das maduras amoras
a frutuosa harpa que tanje
esculpe no xisto
um umbral
de deslumbramento


Prelúdio de novas partituras
o brilho do seu trinado
ensombra as grades
que agrilhoam
o peito dos homens


Poema de V. Solteiro
Fotografia de M. Furtado

14 comentários:

Graça disse...

Aqui não há palavras agrilhoadas... antes um deslumbramento natural, por tudo o que escreves.

Beijo

Sonia Schmorantz disse...

As escrevedeiras que sulcando fazem poemas...
um abraço

Lídia Borges disse...

A música, em trinados atravessando o poema...

L.B.

gabriela rocha martins disse...

sem subtilezas vãs um belíssimo poema




.
um beijo

Jefferson Bessa disse...

a música perpassando em muitos tons o seu poema...

Um abraço.

Sight Xperience disse...

O canto da sereia escrevedeira...

Um excelente poema...mais um!

helen ps disse...

Finíssima tessitura.

Abraço.

PAZ e LUZ

maré disse...

preludio
de notas
que despertam asas



deslumbre

_____

aqui há gaivotas sobre o mar
das mãos.
escrevente este beijo que pontua a arquitectura de domingo

maré disse...

eu sei!

repito-me.

mas este é um umbral/pórtico que me acolhe com doçura extrema.

Boa noite
e uma estrela num beijo

AnaMar (pseudónimo) disse...

Deslumbre. Num poema que liberta.
Bj

João de Sousa Teixeira disse...

E que dizer do exuberante "guitarrista", seu companheiro de tricot musical?

Abraço
João

. intemporal . disse...

. do peito, em arco . aberto .

. e aproveito para deixar: .

. um hipotético "caminho": .

http://terracosdeumanjo.blogspot.com/

. um bom fim de semana .

. sempre e para sempre,,, .

. paulo .

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

... conjugação de sons pelos afectos , Poeta!

Um prazer ler .
______JRMARTO

Lu disse...

Que lindo! Amei***