O tronco e o ombro...

Longe iam os dias em que,
manhã bem cedo,
aspirava o perfume da esteva e,
qual amante zeloso,
calcorreava minuciosamente
os caminhos e os trilhos da montanha,
em busca dos frutos da terra.
Ela era o tronco, o seu esteio.
O ombro confidente onde pousava
o corpo dos seus pensamentos...
Texto e fotografia de V. Solteiro

9 comentários:

Lídia Borges disse...

Maravilhoso texto, maravilhosa fotografia!

O tempo implacável...


Um beijo

Graça disse...

"O ombro confidente onde pousava o corpo dos seus pensamentos" é uma imagem belíssima. Adorei as palavras e a foto.


Um beijo meu

Lice Soares disse...

Belíssimo texto com uma adequação de ricas metáforas que me deixam sem saber mais o que falar...
Aplaudo!

Paulo disse...

. a metáfora

sempre tão viva

aqui

a ser seiva do ventre

. um bom fim de semana .

Jefferson Bessa disse...

a simplicidade dos pensamentos em caminhos pela terra.

Um grande abraço.

gabriela rocha martins disse...

"ela era o tronco"
ela era a raiz.....

de um belíssimo poema





.
um poema

~pi disse...

esteva que cola

cola

morna-cola

cola-dera

[ ai

felicidad,




beijo




~

maré disse...

a ligação suprema

UMBILICAL

raíz!

.

assim a terra
e o pensamento

.
um beijo

White Angel disse...

Lupus!!!!!!!!!!!!

Essa arvore:) ...... are capaz de a reconhecer no meio de muitas...se fechasse os olhos era capaz de a identificar so com o tacto...
Fica no cimo da Ponte da Matança... inconfundivel...;)

Abraço montanheiro