No meio da noite...


"Uma fogueira no meio da noite cercada
Por um homem com os olhos rasos de água"


Excerto de poema de Daniel Faria, intitulado "Últimas explicações", in "Poesia"


"Night in the farm", fotografia de Maurilio P. Ultramari

17 comentários:

Paulo - Intemporal disse...

bel.íssimo.

quaisquer que sejam as presenças.

aqui.

um abraço.

Lídia Borges disse...

Belas imagens!

A da foto e a que transparece das palavras...

L.B.

gabriela rocha martins disse...

não sei qual a mais bela - se a imagem.texto se a imagem.imagem .face à indecisão ,fico.me por ambas



.
um beijo

R. Rudoisxis disse...

Não conhecia o blogue mas prendeu-me e voltarei mais vezes.
Noites frias no deserto ao abrigo das feras pelo poder do fogo e com o conforto que o seu calor me dava senti-me a dormitar na areia com um velho cobertor a tapar-me, como tantas vezes fiz na minha meninice.
O vulto do velho cipaio que ia mantendo o circulo de fogo fechado.
O céu as estrelas brilhando e a sensação de liberdade que me foi roubada pelos homens e pelos anos numa viagem ao passado fizeram os meus olhos cansados encheram-se de àgua encarnando por momentos o homem à volta da fogueira.
Espantado como um pequeno excerto de uma poesia pode ter tanto impacto em nós.
Um abraço, agradeço a visita e voltarei mais vezes.

Ana Gomes disse...

... Excelente. A combinação de ambas, diria Perfeito.

Tchi disse...

Tanto que o Daniel Faria disse em tão pouco tempo do seu viver.

Belíssima conjugação.

Assim, à metade da noite.

Beijinhos.

Ana disse...

No meio da luz que as palavras acendem.

~pi disse...

como morrer

assim?






~

Marta disse...

Gostei tanto tudo

Delirius disse...

Daniel Faria, é fantástico!
E tu também, sabes mesmo respirar as palavras, sejam tuas ou não. E eu gosto de sentir essa respiração.
E admiro-te por te bastarem duas ou três para dizer tudo quanto precisas, é que fico assim... com uma pontita de inveja rsss, pk não sou capaz...
Olha só deixei-te um testamento!
Adoro vir aqui.
Beijo

José Miguel de Oliveira disse...

olhos rasos de água...
não são do Daniel já
são nossos, de todos nós.
ainda bem que há lobos que sabem.

PAULO MIRANDA (A Folha) disse...

É nos pequenos detalhes que a vida se faz vida

vaandando disse...

um clarão na noite , corrente e puro, de primordial


cordialmente
________ JRMarto

O Profeta disse...

Mil caminhos
Esta viagem sem velas nem vento
Este barco na bolina das ondas
Esta chuva miúda transborda sentimento

Amarras prendem o gesto
Arrocham um coração que bate incerto
Uma gaivota retoca as penas com espuma
Levanta voo em rumo concreto

Partilha comigo “100 Anos de Ilusão”


Abraço

maré disse...

belíssima a imagética do poema

um TODO

Graça disse...

Bela... sempre. A escolha.


Beijo

Delirius disse...

Fantástica noite de prata, para uma fogueira, cercada por uma homem com olhos rasos de água!...

Beijo