O que sabemos do amor?

















"no fundo

o que sabemos do amor?




palavras presas


às giestas do último sol.




mãos confinadas


à face do adeus


um monólogo de aves


sobre o mastro dos navios."


Maré
http://marésdeespanto.blogspot.com/


Fotografias de V. Solteiro


















A TODOS, A CADA UM
DE VÓS,
DESEJO UM FELIZ NATAL!



Entre.linhas



nos olhos da névoa
ergo um castelo
de cartas.
nelas d.escrevo
o rodopio do ar
e o remoínho das folhas
da infância.
nas suas torres, o cavaleiro-vento galopa uma remota e íngreme voz.
pela amurada, vislumbram-se
estilhaços de objectos que outrora eram alicerce de fundas moradas: porta-retratos, livros, relógios perdidos no tempo.
cego
nesse turbilhão
de fogo e cinzas
tacteio um trapézio sem rede.
sem temor nem tremor.
como convém a um bom jogador
de cartas.

Texto e fotografia
de V. Solteiro

Centro periférico


estou no centro
nesse poço
sem fundo
epicentro
periférico
onde rodopia
a mó da memória
e a hélice do futuro

Texto e fotografia
de V. Solteiro

Na orla do abismo...

"na orla do abismo
o silêncio é vermelho.
como o núcleo do tempo no meu corpo.
só da água emerge um lampejo súbito
a lavrar a polpa da palavra
rasgada de solidão."
***
Maré
*
Foto de V. Solteiro

Milagre-cendo ***

"permanece o
enigma do
milagre
[per-mane-cendo,"
*** ~Pi
Fotografia de
V. Solteiro

A [in.visível] face da sombra... II

"à flor da pedra
a sombra traz à tona
o que se expressa
pela superfície"

Dade Amorim
Fotografia de
V. Solteiro

A [in.visível] face da sombra...I

infatigável
apóstola
da mão
e da luva
a sombra
sussurra
ás paredes
a face
culta
de um país
pró fundo
Texto e fotografia
V. Solteiro

Livro de quart.z.o II

"tudo o que posso fazer
é escrever
escrever
no coração da pedra"

Maria Azenha

http://estrelasegalaxias.blogspot.com/

Fotografias de
V. Solteiro

Livro de quart.z.o I

"páginas onde os corpos são içados
até um longe mineral"
Icendul

Fotografias de
V. Solteiro

Os bagos de Baco...

Embriagado
pelo rubi
dos lábios
e o suco
do medronho
amadureci
no ramo
/mais inclinado/
da tarde

Texto e fotografias de
V. Solteiro

De.composição outonal

truncadas
pela sombra
do machado
as folhas
unidas
num amplexo
de húmus
rememoram
os dias
de pescoço
luzidio
e dorso
vegetal
Composição e fotografia de
V. Solteiro

A escrevedeira...


Tecelã das velas do lírico
canto
a escrevedeira
sulca
na sua rejubilante melopeia
um coral de liras


O seu fino e pontiagudo bico
flautim revolteando o vazio
vibra no ar
as cordas da fuga


Doce como o néctar
das maduras amoras
a frutuosa harpa que tanje
esculpe no xisto
um umbral
de deslumbramento


Prelúdio de novas partituras
o brilho do seu trinado
ensombra as grades
que agrilhoam
o peito dos homens


Poema de V. Solteiro
Fotografia de M. Furtado

Guarida


recolho
ao casulo
onde um dia
fui crisálida


traído
pela voragem
dos insectívoros
astros
de novo quis ser
o ventre
o ovo
o ninho


menino
aninhado
entre fetos
musgo
e líquenes



Poema e fotografia de

V. Solteiro

Sal.va.guarda...





















Recolectora de brumas
e búzios
a gaivota
debica no areal
os resquícios
da civilização


Rude mareante
de plumas de crude
engalanada
no seu aquilino peito
ferve o sal
da delação


Cristalizada pelo halo
do vento norte
o grito que amordaça
escava na duna
um refúgio
para a solidão



Poema e fotografia
de V. Solteiro

A mão univer.sal...


Curvado sobre o próprio
destino
impróprio para fracas hastes
o jovem marnoto
nunca cobiçou a brancura
do seu reino
de cisnes e açucenas


Ele sabe há muito
que a luz que o
encandeia
liberta
aqueles que
com videntes mãos
sabem erguê-la


Poema e fotografia de
V. Solteiro

A semente do olhar...



perene
olhar
o que roga
no útero
do tronco

(indestrutível
semente
que enraíza
o voo)



Texto e fotografia
de V. Solteiro

A diluição do corpo...



" (...) teu corpo dilui-se nos ossos da página, contamina as cartilagens das sílabas (...)."


Al Berto, in "Degredo no Sul", Assírio & Alvim, Maio 2007

"Nymphea", fotografia de Philippe Berthier

Viajar o sonho...


"O sonho é uma conversa com os mortos, uma viagem ao país das almas."

in "Jesusalém", novo romance de Mia Couto

"A bit of sea's soul, fotografia de Silvia Marmori

O coleccionador de madrugadas...



"De há muito coleciono deslumbrado
memória de perfis
corpos serenos
madrugadas de esperança
altos morenos campanários
urbanos alcantis.
Viajo pelo céu impenitente
repouso numa nuvem reclinado
retomo a marcha sempre apaixonado
astronauta de sonhos infantis"



"Poema", de Lagoa Henriques, in "Jornal de Letras Artes e Ideias", edição de 11.03.09 a 24.03.09

Fotografia de Dias dos Reis sobre a obra "O Segredo", de Lagoa Henriques


Caminho...


"O tamanho do teu nome
Quase já não se nota
Na estrada onde caminhas

Já não sei onde mora
A cor do sol

Pela estrada onde caminhas
As curvas entornam-nos
sucessivamente"


Poema de Daniel Faria
"Walking together", fotografia de Gregory Regelman

Fende a tempestade!


"(...) e do vento uma voz explode, fende, desfaz a tempestade (...)."


Excerto de Al Berto, in "Degredo no Sul", Assírio & Alvim, Maio de 2007


"Wind", fotografia de Volga Borytsch

O tronco e o ombro...

Longe iam os dias em que,
manhã bem cedo,
aspirava o perfume da esteva e,
qual amante zeloso,
calcorreava minuciosamente
os caminhos e os trilhos da montanha,
em busca dos frutos da terra.
Ela era o tronco, o seu esteio.
O ombro confidente onde pousava
o corpo dos seus pensamentos...
Texto e fotografia de V. Solteiro

O arco e a íris...


flecha
arqueando
o peito
do crepúsculo
a íris
liquefaz
o esférico
mineral
do silêncio



no cimo
do arco
no fundo
da corrente
abro
as oceano
gráficas
pupilas
dos corais


Poema de V. Solteiro

"Rainbow", fotografia de John Aavitsland


A trama e a rama...


esteio de uma aérea e antiquíssima
arquitectura
a aranha
fia na rama
um lençol
de orvalho


nas suas dobras
borda
um alfobre
de translúcidos
fios de prumo
Poema de V. Solteiro
"Neclace of mister spider", fotografia de Sergey Amelin

O perfil dos minerais...


(A meus pais)
calejadas pelo ardor do sal
as mãos
fincam na terra
o pomo da ternura


na progenitora lâmina
da enxada
elas desvelam
o perfil dos minerais


Poema de V. Solteiro


"Paysan à la houe", quadro de Georges Seurat, 1882
Foto retirada daqui:

O nome do poema...



línguas no tempo
submergidas
os limos
assomam ao sopé
das águas
para aspirar o oxigénio
dos nénufares


assim os bagos das ideias
na leira
da cabeça

Poema de V. Solteiro

Fotografia de Lynn Vichl

Uma acentuada inclinação para o lume...



"Longilíneos e serpenteantes como glaciáricos vales, os frutos rubros que caíam em catadupa da sua mente aqueciam-lhe o corpo e o espírito numa combustão de cumes..."
Pensamento e fotografia
de V. Solteiro

Navega.dores do sol...

promissor
o grão
brota
silente
dos ramos
das nuvens
***
incansável
navega.dor
de sol e bruma
a sua vertical
energia
é húmus
para os olhos
das pedras
Poema e fotografia
de V. Solteiro

As montanhas do pensamento...


Ali, perante toda aquela magnificência e imensidão, só um pensamento o enraízava:

- Como são profundos e altíssimos os trilhos da memória!

Pensamento e fotografia
de V. Solteiro

A verbalização do vazio...


No verbo
da escarpa
a fenda
traça
a senda
***
Face a face
com o abismo
o rosto
é a adjectiva
expressão
do vazio
Poema de V. Solteiro
"Cliff", fotografia de Jas

A luz dis-sol-vida...



"Guindar a luz dissolvida na água, aspergir a terra com a água resgatada da luz."

Icendul
"Neve em Mões, Castro Daire", fotografia de Paulo Martins

Nome.ar


"Ninguém possui verdadeiramente alguma coisa. As coisas do mundo pertencem a todos e, sobretudo, a quem aprendeu a nomeá-las. E eu já não consigo nomear nada. Não me lembro sequer de um nome que resuma o movimento desastroso dos dias."

Al Berto, in "Degredo no Sul"
"Ont the edge of the world", fotografia de Oleg Titov

No meio da noite...


"Uma fogueira no meio da noite cercada
Por um homem com os olhos rasos de água"


Excerto de poema de Daniel Faria, intitulado "Últimas explicações", in "Poesia"


"Night in the farm", fotografia de Maurilio P. Ultramari

Noite branca (III)



Em rodilhas
de líquenes
pousas
o cântaro
das primiciais
águas


Canto erguido
ao cume
das pálpebras
com noctívagos
dedos
vertes
um templo
de calcário


Poema de V. Solteiro


"White night over the Winter Palace", fotografia de Vladimir Gitin

Noite branca (II)

Do gume
do breu
aflora
um rosto
de cal



Na orla
dos cabelos
teço
relâmpagos
de linho

Poema de V. Solteiro
"Lightning Luke", foto de Brandon Wilson

Noite branca (I)


Atado
pelo clarão
nocturno
durmo
com os pés
voltados
para dentro
da neve


Raíz
onde bebo
o teu nome
Poema de V. Solteiro
"Snowstorm", fotografia de Tatyana Savyateeva


A aura do canto...


o grilo
escava
no ar
galerias
para o
canto


na harpa
do feno
dedilha
o puro
ouro


Poema de V. Solteiro

"Cricket", fotografia de Vytautas Budrevicius


Mães-terrenas, águas-mãe...


"(...) As mães são as mais altas coisas
que os filhos criam, porque se colocam
na combustão dos filhos, porque
os filhos estão como invasores dentes-de-leão
no terreno das mães.
E as mães são poços de petróleo nas palavras dos filhos,]
e atiram-se, através deles, como jactos
para fora da terra.
E os filhos mergulham em escafandros no interior
de muitas águas,
e trazem as mães como polvos embrulhados nas mãos]
e na agudeza de toda a sua vida (...)"


Excerto de poema de Herberto Helder, in "A Faca Não Corta o Fogo - súmula & inédita", Assírio & Alvim
"Tribute to the mother", de Luís A. Steinberg

O silêncio arde...


"(...) - e havia uma força cega
No poema:
Era um verbo de sangue para o silêncio arder."


Excerto de poema de Daniel Faria, in "Poesia"


"Silence", fotografia de Oleg Yarushin

Manuel Cruz:sempre-a-fazer-sonhar...

http://www.fogefogebandido.com/

O silêncio das mãos...



"as mãos redescobriram o silêncio inesgotável da escrita]
praticam esse ofício muito antigo
de na imobilidade da fala tudo desejarem."


Al Berto, in "Degredo no Sul", Assírio & Alvim, Maio de 2007


"Grandpas Hands", fotografia de John White


A lav.r.a do amor...

Da semente
das mãos
nómadas
recolectoras
germinam
sóis
em flor

Depois da lav.r.a
do amor
atiro os grãos
ao mar
na ânsia
de os ouvir
no pulso
dos búzios


Poema de V. Solteiro

"Hands", fotografia de Bogush Andrej

Da gravidade das raízes...


ramifica-se
a ternura
na copa
do beijo


des.fiando
a gravidade
os dedos
escavam
pontes
nas nuvens
Poema de V. Solteiro
Fotografia de Marita Toftgard,
"The tree that God plant..."

Poços de luz

a.funda
as asas
nos poços
de luz
***
com os raios
escreve
o nome
das aves
Poema de V. Solteiro
* inspirado no comentário a um poema de Maria Azenha

Safra

amadurecidas
pelo halo solar
um sussuro basta
para que as pétalas
caiam
na rede
dos lábios

Poema e fotografia

de V. Solteiro

A flor do silêncio...




"(...) e amo tanto
A árvore que abre a flor em silêncio"


Excerto de poema de Daniel
Faria


Fotografia sem título de Sevtlana Gladkova

Gerenisíaco...


vago
o homem
que não gera
montanhas
no pensamento


vácuo
o homem
que calcina
a raiz
da fertilidade


volátil
o homem
que quebra
a haste
da aurora


e veste
de carvão
o esguio
tronco
gerenisíaco





Poema e fotografia
de V. Solteiro