A.corda

acorda
***
rompe
a corda
que te prende
aos nós
da letargia
***
acorda
***
esgana
a indiferença
na prensa
do quotidiano
***
(e pendura-a
no frondoso
pescoço da lua)
***
Poema e fotografia
de V. Solteiro
***
Museu Marítimo de Ílhavo

6 comentários:

maré disse...

Digno de visita...

e fico contente se estiveste por aqui...por esta terra que me é tanto como a alma, que me nasce a cada passo de caminho, a cada olhar alongado na ria, a cada lamento de mar.

maré

Ana disse...

Acordar a beleza só com olhos de poeta.

gabriela rocha martins disse...

reservo.me a delícia de te ler

em ABSOLUTO

silêncio



.
um beijo

AnaMar disse...

Oportuna a leitura deste poema. que me fez acordar de alguma letargia.

Mas continuo com alguma indiferença, que desejo passe depressa.
abraço.

mariah disse...

corda que acorda ...sem cosmética social!

gosto.

hora tardia disse...

grata.





beijo.