Acaso o ocaso...

não façam caso
dos que crêem
na magia
do ocaso
***
não façam caso
***
não façam caso
dos que
casualmente
nele vislumbram
algo mais que
ocasional
***
acaso
a casa
mãe
protege-nos
da luminosidade
dos sonhos?
***
Poema e fotografia
de V. Solteiro
Parque Natural do Alvão

4 comentários:

Hanah disse...

linda imagem...
linda sequência ...

maré disse...

a fenda

do sonho

nos olhos

_______

dissertação

longa, longa...

Vieira Calado disse...

Bonito poema!
E bela imagem do Portugal profundo.

Um abraço.

rosasiventos disse...

(...)

tenho nas mãos este amor ridículo


amor de filme esta


terra antiga de longa solidão (...)




[ o espaço que brilha en tre...



BEIJO