O riso de um rio...

Vista da Ribeira de Gaia
Fotografia de V. Solteiro
captar o tempo numa nova moldura. emoldurar o espaço de esperanças que não sejam vãs. vacilar, mas não temer. navegar é sulcar o perecer. reconhecer no rio as margens de um outro. rio. a bandeiras despregadas. furo a carapaça de gelo. cruzo antiquíssimas estradas. icebergue à deriva em árticas membranas. desperto, esboço renovados desassossegos. da nascente à foz. ganho novo alento. ao relento, espraio-me com as estrelas pelo estuário. a custo me aguento. são múltiplas as barragens que nos impedem de ver o mar. lamento, deixa-o ir na corrente. lança âncora nas águas do pensamento.
V. Solteiro, 10.08.08

6 comentários:

Mïr disse...

Bela fotografia.

A lembrar dois espaços temporais.

mariah disse...

...os olhos da alma vencem o tempo....e as coisas. mas elas estão lá para podermos chegar mais longe.

Lindíssimo este teu olhar.
Obrigada...

(de)coração,

P.S. quando aumentei a fotografia foi arrasador...

Marinha de Allegue disse...

Sinto devoción polas imaxes de fiestras...

Encantoume a foto e a vista.

Unha aperta grande.
:)

Claudia Sousa Dias disse...

belo...espero que ao natural seja também perfumado...


CSD

icendul disse...

lábios de água a deitar por fora um sorriso;)

Hanah disse...

Belissima foto....
Belissimo olhar...


Passei aqui para deixar uma homenagem que fiz no Blog Art&Ecologia...

Abraço grande
Hanah