Rosto negado


"'Com o suor do teu rosto ganharás
o teu pão', escreveram no teu berço.
Dormiste, respiraste e, um dia,
escarneceram do suor do teu rosto.


É hoje, quando tu, filho de Europa,
expulso da seara do teu trigo,
em todos os muros vês escrito
que o suor é vão, e o teu rosto negado."



Poema sem título da autoria de Fiama Hasse Pais Brandão

"Burst of sparkles", fotografia de Berenice Kauffmann Abud, in http://www.photoforu.ru/

2 comentários:

mariah disse...

que extraordinário poema!
dos tempos. actualíssimo!


***maat

maré disse...

ontem, como hoje.

descendo o suor pelo rosto envergonhado.

ceifado. de acreditar.

"actualíssimo" disse a mariah...eu reforço.