As infâncias que fomos...



"Não sei como o perceberão as crianças de agora, mas, naquelas épocas remotas, para as infâncias que fomos, o tempo aparecia-nos como feito de uma espécie particular de horas, todas lentas, arrastadas, intermináveis. Tiveram de passar alguns anos para que começássemos a compreender, já sem remédio, que cada uma tinha apenas sessenta minutos, e, mais tarde ainda, teríamos a certeza de que todos estes, sem excepção, acabavam ao fim de sessenta segundos..."

José Saramago, in "As Pequenas Memórias"


Fotografia sem título de Mikhail Chepelov, in http://www.photoforum.ru/


5 comentários:

mconception disse...

Mas são sempre segundos tão agradáveis... :)
A imagem com que acompanhaste o texto é tão serena que nos leva quase no mesmo instante a essas memórias!
Parabéns ;)

Ana disse...

O valor do tempo. As Pequenas Memórias de alguém que é Grande.
A foto é de uma beleza ímpar.
Um beijo.

Carla disse...

memórias da minha infância...resta-me apenas dizer que eram minutos que se viviam completamente!
Adorei a imagem
beijos

helen ps disse...

O tempo só existe para quem se dá conta dele, o que não acontece quando se é criança.

PAZ e LUZ

aya disse...

Excelente conjunto: foto e palavras!!!