O luminoso olhar do mar...



"Frente ao mar
meu corpo ardente e nu de marinheiro pelo sangue.
Fervem-me nas veias
um milhão de ondas em repouso
Em meus olhos cativos e saudosos
- imagem da minha solidão imensa -
o abraço que me une a ti
ó mar
deus pagão de olhar luminoso e belo!


Recebe ó mar este afluente silencioso
que para ti corre
e contigo se confunde:
o líquido canto a quem me ligo
pelo drama de não ser só teu."




"Um Corpo Um País", poema de Casimiro de Brito

7 comentários:

mariah disse...

..."Recebe ó mar este afluente silencioso..."
verso sublime e infindo em
nossa alma atlântica que só sabe medir-se no Longe e na Distância ...

***maat

Dalaila disse...

mar que nos bate dentro e nos molha a pele e nos arrebata o salgado da vida

L. disse...

queria de ti um país de bondade e de bruma...

lupussignatus disse...

Olá Maat!

O silêncio é um afluente do coração...

Isso está bem retratado nesse magnífico verso...

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Mar que nos ama...

lupussignatus disse...

Olá L.

"(...) queria de ti o mar de uma rosa de espuma"

Ainda e sempre, Cesariny...

tonsdeazul disse...

"Frente ao mar..."
Encontro o meu mundo.
Nele perco-me em pensamentos
e nele mergulho tudo aquilo que sou.