A pele da sombra





cruzo
o coração
da sombra
as voláteis
e nebulosas
artérias
da pele


escuto
o silêncio
respirar
a geometria
da álgida
manhã


da terra
navio
de húmus
a língua
ressequida
da folhagem
veste
o corpo
de in
sonoros
cânticos
de luz



Poema e fotografia
de V. Solteiro, 30.04.08

12 comentários:

Maria disse...

Também eu...
ouço o silêncio a respirar
quando sinto as sombras



Bom 1º Maio

mariah disse...

"cruzo o coração da sombra " (que belo!)
(..)

folhagem da brisa
geometria da luz das tuas mãos invisíveis
com que escreves a palavra da terra.

Obrigada,

mariah

Hanah disse...

um desbunde...

imagem e palavras...

vou ficar debaixo dessa sombra por mais algum tempo...

obrigado...

beijo...

João Soares disse...

Vitor
Refrescante e bem-humoradas brincadeiras de luz,calor e frio nas sombras.
Obrigado por este momento belo:)

isabel mendes ferreira disse...

b e l o .




-



telúrico.


.


bjj.

Dalaila disse...

a sombra que ressuscita a pel no caminho que se pinta de verde

lupussignatus disse...

Olá Maria!

As sombras respiram-nos :)

Continuação de boa semana.

lupussignatus disse...

Olá Mariah!

É esta terra que cava e semeia dentro do peito...

Limito-me a dar-lhe um grão do tanto que recebo...

Obrigado.

Afecto.

lupussignatus disse...

Olá Hanah!

Que a sombra te resguarde e proteja...

Obrigado.

Beijo.

lupussignatus disse...

Olá João!

Bem-vindo arquitectar...

Não tens que agradecer; partilho-o com todo o gosto...

Como tu bem retratas no Bioterra, a natureza ensina-nos muito...

Obrigado.

lupussignatus disse...

Olá Isabel!

Amo essa palavra - telúrico.

Vem das entranhas...

Grato.

Beijo.

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

As sombras que nos caminham...