A respiração das águas



Subterrâneas
e indecifráveis
correntes
fluem
flamejantes
pelo vertical
corpo
do poente

Flecha
refulgente
cruzando
as fugazes
penas
do dia
pousas
gracioso
no espelho
de prata

É de asas
abertas
ao sol
e ao sonho
que beijas
silente
a líquida
pele
vespertina

Poema e fotografia
de V. Solteiro, 04.04.08

12 comentários:

Ana Pallito disse...

Captação de partículas numinosas.

Brilhante final de semana amigo

L. disse...

bom dia... passei e aproveito para deixar o meu link

http://parecepouco.blogspot.com

blog onde comecei ontem a publicar 13 anos de poesia minha.

apareçam e comentem, serão sempre bem-vindos

Marinha de Allegue disse...

Guauuuu!!! superlindo!!!.

MUUUUAAAAAAAA.
:)

ContorNUS disse...

Gostei de te ler...

sempre bom aqui regressar ;)

Dalaila disse...

beijos que sinto-os meus em águas cristalinas onde os seres nascem

Hanah disse...

belissimo...

Semana fluente....

lupussignatus disse...

Olá Ana!

Partículas que nos (pre)enchem...

Semana reluzente...:)

lupussignatus disse...

Olá L.

Seja bem-vindo...

Apareça sempre que quiser...

lupussignatus disse...

Olá Marinha!

Muchas gracias.

Aquela paisagem veste-nos de alegria...:)

lupussignatus disse...

Olá Contornus!

A natureza lê-nos...

Também gosto muito de visitar o teu espaço - onde o tempo está sempre presente...

Aquela pequenina porção de tempo que passa por nós despercebida...

Abraço.

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Águas que que brotam do Ser...

lupussignatus disse...

Olá Hanah!

Beijo prateado.