Interior


"Quando olho, a partir de fora, para a minha vida, ela não me parece especialmente feliz. Mas não posso apelidá-la de infeliz, apesar de todos os erros. É completamente disparatado falar de felicidade ou infelicidade, porque me parece que dou mais importância aos dias mais infelizes da minha vida do que aos dias alegres. Quando na vida se aceita conscientemente o inevitável, se prova o bem e o mal e se alcança, na proximidade com o exterior o destino interior, íntimo e não casual, então a minha vida não foi pobre e não foi má. Se o meu destino exterior passou por mim, como por todos, inevitável e fatal, imposto pelos deuses, é este o meu destino interior, a minha própria obra, cuja doçura ou amargura vem ao meu encontro e pela qual penso ter a responsabilidade absoluta (...)."



Herman Hesse, escritor, in "Gertrud", Editora Difel, 2001
"Gugenheim Museum Interior", fotografia de Nathan Kern MD, in http://www.photoforum.ru/

8 comentários:

maat disse...

tenho só o que não se vê...uma música indecifrável...
esta é a Obra...


afecto,

***maat

Gi disse...

Vim retribuir e agradecer a visita e as palavras que deixaste no meu canto. Não resisti a ler um pouco do que publicaste e sinceramente gostei.

Herman Hesse li-o na minha juventude e reli-o há pouco mais de um ano, leituras cheias de significado e diganas de reflexão como o extracto que aqui deixas.

Um beijinho, volta sempre

icendul disse...

somos autores da nossa história, da empírica também, basta que não nos demitamos da tarefa;)

tonsdeazul disse...

Faz todo o sentido.
Por vezes damos demasiada importância aos nossos dias menos felizes e passamos horas e horas a pensar em como nos sentimos tristes... E que fazemos com todos os nossos dias felizes?

lupussignatus disse...

Bom dia Maat!

Música do acaso...

Música do ocaso...


Claves de afecto.

lupussignatus disse...

Bom dia Gi!

Herman Hesse é um dos meus escritores favoritos.

"Lobo da Estepe", um dos meus livros de cabeceira.

A densidade da sua escrita é de uma beleza inclassificável.

Obrigado pelas simpáticas palavras.

Beijinho e continuação de um excelente fim de semana.

lupussignatus disse...

Bom dia Icendul!

Autores, actores, intérpretes.

Mesmo quando outros nos querem fazer crer que basta estarmos quietinhos e caladinhos que eles zelam pelos nossos interesses...

Anestesiados, ma non troppo...:)

lupussignatus disse...

Bom dia Tons de Azul!

Que seria de nós sem a noção de temporalidade e fragilidade?

Que seria de nós sem infelicidade, tristeza e mágoa?

O importante, creio eu, é que esses sentimentos que nos invadem como ondas alterosas sirvam de alavanca para outras marés...:)

A do Ser, por exemplo.

Obrigado pelas palavras e pela visita.

Continuação de um excelente fim de semana.