A voz da maresia...


Já passaram muitos anos desde que o descobri. Tudo aconteceu de forma casual, no jornal "Blitz". Ao desfolhar uma das páginas, deparei com uma foto sua, onde aparece, cabisbaixo, fumando um cigarro, todo ele vestido de negro, passeando por aquilo de parece ser uma praia (ou será um deserto?). O que mais me impressionou foi o ar triste e desolado.
Já passaram muitos anos desde esse encontro e, ainda hoje, quando revisito as suas músicas, melancólicas e lânguidas, é como se Nick Drake estivesse aqui a meu lado, longo casaco negro vogando ao vento, cantando como quem dialoga com as marés da alma...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nick_Drake

4 comentários:

Dalaila disse...

Claro que tinhas que gostar de Nick Drake, e que bem que o descreves e o transportas aqui para a minha sala, onde a minha pele também se veste de casaco negro com a voz que nos envolve.

Beijo musical

lupussignatus disse...

Dalaila:

Gostar não é bem o termo... :)

Adoro-o!

A sua voz doce e melodiosa transmite uma Paz que me veste de serenidade dos pés à cabeça!

Beijo em clave de sol

maat disse...

...e numa das marés foi embora...

suicídio, Ou incompreensão?

é quase sempre assim...neste obscuro mundo.



***maat

lupussignatus disse...

Maat:

Somos uma - ínfima, é certo - parcela deste mundo; temos o dever, ético, de lutar contra essa obscur(a)idade. Pela acção. Individual e colectiva.

O voluntariado é uma das melhores expressões de Humanidade...