Escrever na areia...

"Reconheci quanto havia de panaceia nas nossas doutrinas revolucionárias. A igualdade social há-de acabar por ser o nome duma constelação, a menos que o mundo dos oprimidos se não levante num ímpeto unânime, miraculosamente explosivo, e que para ser eficaz terá de ser consciente. E nestes termos, quando? A máquina, é certo, pode aliviar o escravo; remi-lo nunca. Estou em crer que o homem é fundamentalmente mau e que a luta de princípios não passa dum longo e fátuo escrever na areia. Oxalá me engane!"

Aquilino Ribeiro, in "Andam Faunos pelos Bosques"

Fotografia de Igor Kraquljac, denominada "Sand": http://www.photoforum.ru

2 comentários:

Dalaila disse...

Parece que não se enganou!
é mesmo uma escrita na areia, que qualquer chuva, qualquer onda, qualquer pégada, apaga, desmente-se, passa-se por cima....

A constelação...
essa pois, acho que nem no mundo das constelações se ouvirá esse nome... acho mesmo que só para lá do universo, onde não houver HOMENS haverá igualdade social.

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Estou a ler Aqulino Ribeiro pela primeira vez.

E que grata e inesquecível surpresa tem sido...

O nosso retrato como povo está todo na sua obra; e com uma mestria e genialidade incomuns.

Continuação de um bom domingo.