A cultura do mal

"Cada época, cada cultura, cada tradição tem o seu tom. Tem as suas doçuras e as atrocidades que lhe convêm. Aceita certos sofrimentos como naturais, acomoda-se pacientemente a certos males. A vida humana só se torna num verdadeiro sofrimento, num verdadeiro inferno quando se cruzam duas épocas, duas culturas, duas religiões."

Herman Hesse, escritor, in ‘O Lobo da Estepe’


"Life", fotografia de Svetoslav Apostolov, retirada daqui: http://www.photoforum.ru

4 comentários:

Mïr disse...

Hermann Hesse, também diz:


"Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo."

lupussignatus disse...

Olá Mir!

Excelente contraponto ao texto do blog.

Herman Hesse é, pela densidade e profundidade das sua obras, um dos meus escritores favoritos.

Obrigado. Continuação de um excelente fim de semana.

Dalaila disse...

e assim se relê o lobo da estepe... e que lindo que é...

Eu adoro Hermann Hesse, o livro do Sidartha, um dos primeiros livros que li, foi um em que todas as páginas eram lidas por dentro do papel!

Aqui fica mais um pensamento deste magnífico escritor:

"A fantasia é a mãe da satisfação, do humor, da arte de viver. Apenas floresce alicerçada num íntimo entendimento entre o ser humano e aquilo que objectivamente o rodeia. Esse ambiente envolvente não tem de ser belo, singular ou sequer encantador. Basta que tenhamos tempo para a ele nos habituarmos, e é sobretudo isso que hoje em dia nos falta."

Hermann Hesse, in 'Ainda da Felicidade'

lupussignatus disse...

Olá Dalaila!

Li "O Lobo da Estepe" há muitos anos atrás, era ainda adolescente.

Foi um livro que me marcou profundamente. Pela temática. Pela forma e pelo conteúdo que Herman Hesse, magistralmente, lhe soube conferir.

Pelos subterrâneos da escrita, também...

Depois disso, li outros livros do autor e, se dúvidas tivera, elas ficaram dissipadas - n aminha opinião, estamos em presença de um portentoso e poderoso escritor que, de uma forma sábia e magistral, nos transmite a verdadeira condição humana.

Obrigado pela partilha.