A paleta do silêncio



De Santa Bárbara
vê-se o sol
a escorregar
pelo fio
do horizonte
e cair
qual gota
de orvalho
nas margens
do silêncio

É um silêncio
raro e perfeito
povoado
de vazio
e de luz
aquele
que se sente
aqui
no cume
da serra

Fugidias
sombras
correm
pelas giestas
e carrascos
como cães
esfaimados
em busca
de uma furtiva
perdiz

Quando as cores
do poente
se derramam
pelo leito
refulgente
do Douro
o rio de xisto
que veste
as terras de
tons ocres
embebeda-me
os sentidos
e inebria-me
de prazer

É com essa paleta
e nessas águas
subterrâneas
que crio novas simetrias



V. Solteiro, Mós do Douro, 2004

Imagem retirada daqui: http://fozcoajer.planetaclix.pt/fotos_pano.htm

2 comentários:

maat disse...

gosto particularmente "o sol
a escorregar
pelo fio
do horizonte
e cair
qual gota
de orvalho
nas margens
do silêncio"...

Gosto.

A paisagem é sublime...
»»»maat

lupussignatus disse...

Maat:

Trás-os-Montes e o Alto Douro são dignos de serem visitados e revisitados. Sem pressas nem cronómetros...

É uma geografia de idílios. E de muitas memórias.

De afectos ancestrais e intemporais...

Pena que a pena (a do aprendiz) não condiga com todo o manancial de beleza que por ali existe :)