O que seria do mar se os rios se recusassem?


"Estamos todos presos nos nossos oceanos individuais, olhando para os pequenos riachos que encantam nossos narcisismos. (...) Nenhum poder, nenhum ser humano tem o direito de me forçar ao ponto de secar em mim o desejo de viver. O que seria do mar se os rios se recusassem? (...) Todos estamos em busca de um sentido, um sentido para a vida, um sentido para a morte."


Jorge Márcio Pereira de Andrade, Psicanalista e presidente da organização não-governamental brasileira DEFNET

2 comentários:

jorge marcio disse...

Caros amigos lusitanos
Agradeço a citação deste trecho de um artigo que inclui em um Informativo eletrônico, do DEFNET, com afirmação de minha afeição pelos textos de um autor sueco, Stig Dagermann, que nos afirma "que nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer", donde veio em parte a inspiração para o texto que seu blog está apresentando.
Tenham a certeza de que coloco a partir de hoje o Arquictectura das Palavras em meus favoritos e em meu coração.
Afetuosamente
DR JORGE MARCIO PEREIRA DE ANDRADE
Psicanalista, psiquiatra e analista institucional
Campinas, SP, Brasil

lupussignatus disse...

Olá Jorge!

Bem-vindo a esta casa, que é de todos...

Não tem agradecer. Fi-lo porque o texto me tocou particularmente: é rico de conteúdo e belo na forma.

Parabéns pela sua escrita, que tem poesia e nos desperta os sentidos...

Abraço atlântico.