A cabeça cheia de estrelas...



"Vai vida na madrugada fria.


O teu amante fica,

na posse deste momento que foi teu,

amorfo e sem limites como um anjo;

a cabeça cheia de estrelas...

Fica abraçado a esta poeira que teu pé levantou.

Fica inútil e hirto como um deus,

desfalecendo na raiva de não poder seguir-te!"



"Adormecer", poema de Manuel da Fonseca, in "Poemas Dispersos"

2 comentários:

maat disse...

Manuel da Fonseca é um poeta "vivo", que amo.e este poema é extraordinariamente belo...

***maat

lupussignatus disse...

Olá Maat!

Manuel da Fonseca é outro daqueles poetas que, desgraçadamente, este país arrumou na gaveta do esquecimento (oportuno)...