Outro chão



É com pequeninos
e insignificantes
gestos
que construímos
e solidificámos
a casa do futuro

Na palma
das mãos
abrem-se linhas
que tecem
novos
e promissores
horizontes

Linhas
cruzadas
desconexas
sobrepostas
e insubmissas

Linhas
que trilham
o impossível
nessa astral
viagem
que é o Ser

Tivéssemos
nós asas
para sobrevoarmos
os dias
que pisoteámos
com desdém

Outro chão se ergueria


V. Solteiro, 26.04.07

2 comentários:

maat disse...

..."Tivéssemos
nós asas
para sobrevoarmos
os dias "... e pés para semear pensamentos luminosos dentro da terra..." tivéssemos nós a utopia nos olhos para ver com o coração ...
"É com pequeninos
e insignificantes
gestos"...que damos as mãos e com elas se fazem maravilhas...


lindo !... lindo!...
obrigada,
***maat

lupussignatus disse...

Obrigado, Maat.

Fico muito sensibilizado com as tuas palavras carinhosas...e luminosas.